éMundial

Entre os dias 4 e 9 de julho, a Agal, a associaçom que presido, organizou o éMundial. Fôrom mesas redondas, música, projeçons, dança, conta-contos, exposiçons… eventos de diferente natureza com umha finalidade central: mostrar que a nossa língua é Mundial.

Por que organizamos o éMundial? Porque os galegos e as galegas fomos e somos educados na crença de que a língua que falo no meu dia a dia nom é a mesma língua que a da amiga Jeanne, da Bahia, ou a da Aline, de Luanda. O que nunca nos explicárom é que ganhamos com esta perspetiva.

O guiom que escrevem para a nossa língua é que nom sai dos limites do estado espanhol, onde está enclaustrada. Fala-se no ocidente das Astúrias ou de Samora, mesmo nalguns lugares da Extremadura mas nom se fala em Chaves ou em Valença, ou no Brasil ou em Angola. Mais umha vez pergunto-me: e que ganhamos nós com isso?

É o mesmo guiom que nos diz que nom serve para todas as cousas, para ler um autor estrangeiro, para ver filmes legendados, para usar o computador ou navegar na rede… É o guiom que nos apresenta a nossa língua como um problema e umha incomodidade quando realmente é umha riqueza e umha oportunidade. Ser galego, ser galega, na verdade, é espetacular. Ser da Galiza éMundial.

Julho 2011

This entry was posted in Em 2011, Língua Nacional. Bookmark the permalink.

One Response to éMundial

  1. Pingback: Nove de agosto de dois mil e onze | Nuno Gomes Lopes

Comments are closed.